segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Escuridão


A noite tem o brilho da lua
Solidariamente taciturnos
Os cães ladram nas ruas

Como se unidos pudessem
Amanhecer a noite em luz do dia
Afuguentando todas as sombras

Não se importando com o tempo
São as sombras do passado
Que obscurecem o presente

Continuamente como lembranças
Percorrendo as noites e os dias
Como a inversão plena da imagem

E no momento oportuno do destino
Agiganta-se sombriamente sobre a imagem
Deixando apenas o vazio sem sombras