domingo, 2 de junho de 2013

Efemeridades


Maria Rita - Me Deixas Louca [Armando Manzanero]

Se a indiferença caminha no teu olhar
Na dança do vento que abre a cortina de chuva
Das copas das árvores, o verde colorindo as folhas
Da terra molhada o perfume à tua natureza

E mesmo assim...

Se a urbanidade faz a diferença no teu andar
O cheiro molhado se perde de terra e de verdades
O silêncio da noite se falseia dos gafanhotos
No brilho dos olhos não há pirilampos

O mesmo então...

Quando a areia corria por debaixo dos pés
A mão contrariando a corrente na beira do rio
Quando a primavera corria nas flores do campo
Era o tempo do corrupio da passarinhada

O mesmo fim...

Era um caminho velho que não sabe voltar
Perdeu-se nos falsos caminhos do mundo
O verde, o amarelo se avermelharam nos sinaleiros
O vento e a chuva, o sol erguem-se no vidro das janelas

O mesmo amor...

As árvores farfalham nas tintas da tela
Os verdes campos ventam nas aquarelas
O amor já não voa dourado na gaiola
De tão perfeito morre dos teus arranha-céus