segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

No sonho da poesia



Morelenbaum, Sakamoto - As Praias Desertas


Anoitece a mulher que sonha
Nos dourados raios sobre os pelos
Repousa no arrepio da pele
O suave afago por entre os cabelos

Abandonas na rósea face
Dos dias de espera
Dos minutos de mágoa
Na solidão amanhecida

Descaminhos no teu carinho
Num encontro de águas
Sou a palavra que não sacia
Na incompletude da sua sede

Vestindo as curvas no teu corpo
Onde meus olhos se perdem
Desenho nos teus lábios úmidos
O sonho das minhas palavras

Contorce a chama pelo vento
Na lentidão do tempo
Ardente pensamento do semear
A revelação de todos os desejos

A quietude sobre a cama
Tece versos indecentes
Reconfortando as almas
No suspirar eterno  do silêncio

As lágrimas vertendo o lamento
Em teu ventre dança a chama
Amordaça meus pobres planos
Na tua alma doce que acalenta

A flauta no ar do sopro
Na música  que sacia o fogo
No escuro que te procuro
Como a fresta por uma luz

Nas flores que se alimentam
Na doçura que te faz mel
Desenho o perfume do teu jardim
Na poesia o mágico instante