domingo, 10 de julho de 2011

Coração perdido


Hoje não tenho cansaço
Indiferente a minha angústia
Com tuas lembranças refaço
Toda a minha alquimia

A minha agonia insiste
Em buscar-te nos tristes versos
A encontrar nas entrelinhas
Os teus segredos reversos

Lastimo o meu destino implacável
Meu tempo presente chegou antes
O meu amor chegou como presente
Num desencontro inalienável

A minha dor na busca persiste
Do alívio no sabor dos sonhos
No brilhante lacrimejar na íris
Meu coração de amor substraíste

Se agora escrevo poemas vazios
Vazio como um peito sem coração
Uma poesia perseguindo palavras
Fazendo-me tolo diante dos desafios

Hoje tornei-me um mistério
Com a mão que colhe palavras
Escrevo no branco das páginas
Somente o que em ti leio

Meus sonhos indecifráveis
Fazem a ponte com o coração
Porque a luz dos olhos teus
Me fazem ver que não são meus

Sem dona por vários dias
Procuro um coração perdido
Hoje caminho refazendo os passos
Preciso encontrá-lo nas tuas poesias